20180226como-limpar-piscina-pastilha-de-cloro

Qual o melhor tratamento sem cloro para piscinas?

Diversos estudos já mostram os malefícios do cloro para a saúde das pessoas, como, por exemplo, o agravamento de asma, ressecamento da pele e cabelo, além de causar ardência nos olhos. Tendo isso em vista, tratamentos sem os efeitos do cloro, foram desenvolvidos e estão cada vez mais populares devido aos seus benefícios. No entanto, como saber qual a melhor forma de tornar a água da piscina limpa e saudável sem os efeitos do cloro? Para responder a essa pergunta vamos mostrar alguns dos tratamentos e provar qual é o mais eficaz e seguro. Confira:

Ozonização

O ozônio é um germicida natural, que promete acabar com fungos e bactérias, sendo considerado mais eficiente que o cloro. O tratamento com gás ozônio (oxigênio trivalente altamente oxidante) é produzido automaticamente e diluído na água.

O gás ozônio tem um cheiro forte característico e existem algumas contraindicações, entre elas evitar o contato direto com a pele e evitar inalar ou permanecer em ambiente com odor de gás ozônio. Além disso, tratar a água da piscina por ozonização, apenas a manterá protegida durante o tempo em que há produção do ozônio e recirculação, ou seja, apenas enquanto o aparelho estiver ligado e a água estiver passando e entrando em contato com o gás na câmara de ozonização. Esse tratamento não possui nenhum residual ativo que garanta proteção da água contra contaminação nos períodos em que o equipamento permanecer desligado.

Ultravioleta

O tratamento de água de piscina feito por Raios Ultravioletas é um processo de desinfecção feito por meio de uma onda de radiação solar. Toda a água que passa pela lâmpada durante esse processo fica livre de fungos, vírus, bactérias e algas instantaneamente e automaticamente. Sendo assim, essa é outra opção considerada melhor do que o tratamento por cloro.

O lado negativo de contar com esse tipo de tratamento é que, assim como a ozonização, a água só estará protegida e saudável enquanto o equipamento estiver ligado, fazendo a recirculação da água, já que não há residual ativo que mantenha a água limpa nos momentos em que o equipamento permanecer desligado. Além disso, toda a água que, por ventura, não passar pela lâmpada durante o processo de circulação não será esterilizada, assim como eventuais esporos de algas presas às paredes não serão atingidos.

Ionização

A ionização de cobre e prata é considerada a melhor e a mais eficaz tecnologia para tratamento de água de piscinas residenciais atualmente. Com um aparelho simples e que funciona de forma automática, íons de cobre e prata são lançados na água, na quantidade ideal, matando qualquer tipo de bactérias, fungos, algas e germes.

Desenvolvido pela NASA, esse tratamento para água foi utilizado nas primeiras missões tripuladas ao espaço. Sendo assim, tratar a água da piscina com o ionizador não tem qualquer tipo de contraindicação, sendo 100% seguro para a saúde das pessoas, já que é isento de produtos químicos, e mantendo a água cristalina e saudável, mesmo quando o aparelho estiver desligado. Outro ponto positivo é que, dos tratamentos alternativos, a Ionização é a tecnologia que menos consome energia.

2600-2

Qual Piscina Escolher? Alvenaria, vinil ou fibra?

Piscina de alvenaria

Vantagens:

A vantagem deste tipo de piscina é que você poderá escolher o tamanho e formato que desejar.

Desvantagens:

Uma das suas desvantagens, é que nesse tipo de construção, as infiltrações são mais comuns. Se uma piscina de alvenaria não for executada corretamente, podem surgir fissuras indesejadas, e são as que mais demoram e que pedem uma impermeabilização adequada. Outro fator importante é o seu custo inicial para a execução. A alvenaria ou concreto armado é o tipo de construção de piscinas mais caro dos três tipos, por ter os três modos:  estrutura, impermeabilização e acabamento em fazes separadas. A limpeza das piscinas de concreto requer uma atenção especial em relação à higienização dos rejuntes, que costumam sujar com frequência. Os revestimentos também podem precisar de manutenção, já que algumas peças costumam se desprender, sendo necessária a recolocação.

 Piscina de fibra

Atualmente, as piscinas de fibra são bastante requisitadas. Esse tipo de piscina oferece algumas vantagens muito importantes, e que certamente influenciam na sua escolha.

Vantagens:

A vantagem mais importante da piscina de fibra é a facilidade de instalação. As piscinas de fibra dificilmente vão trazer problemas com infiltração e fissuras, se tomados os devidos cuidados. Podem ser instaladas enterradas, mas também acima do terreno, sendo contornadas por decks de madeira ou concreto e são de fácil limpeza e manutenção. Diferente da piscina de concreto, a opção em fibra é a que apresenta melhor custo-benefício, além de contar com uma excelente durabilidade. Para você que quer uma piscina simples, rápida e que não traga problemas futuros, este é o modelo que melhor vai atender as suas necessidades.

Desvantagens

A desvantagem fica por conta da falta de personalização do projeto. Os modelos de fibra já vêm prontos, sendo pré-fabricados, e, por isso, não dispõem de muitos formatos ou opções de tamanhos diferenciados. A escolha deverá ser realizada conforme a disponibilidade de cada fabricante.

 Piscinas de vinil:

Vantagens:

Esse também é um modelo versátil, pois poderá ser executado conforme o gosto de cada proprietário. A sua construção é bastante rápida, já que a etapa de colocação de revestimento, que demora bastante no caso das piscinas de concreto, aqui é substituída pela ágil colocação da manta vinílica. Assim como as piscinas de fibra, as de vinil são fáceis de limpar, por terem uma superfície lisa e sem rejuntes. Sem dúvidas, o fator mais importante das piscinas de vinil é que são uma das mais baratas.

Desvantagens:

Uma das desvantagens é que o vinil é um material mais frágil, apesar das inovações tecnológicas, sua durabilidade é de em torno de 10 anos, sendo necessária a sua troca após esse período. Sendo uma espécie de manta, deve-se tomar cuidado com objetos cortantes ou que possam perfurar o vinil quando for utilizar a piscina ou realizar a sua manutenção.

ph

Controlando o pH e a alcalinidade da piscina

Água com pH inferior a 7,0 é denominada água ácida, e com pH superior a 7,0 é denominada água básica (também denominada muitas vezes de alcalina).

A limpeza de uma piscina é o tratamento químico da água, incluindo a cloração, o controle do pH da piscina e o controle da alcalinidade.

O cloro específico para o tratamento da piscina é o que desinfeta a água matando os micro-organismos que podem ser nocivos à nossa saúde.

Quando dissolvido na água, ele funciona como bactericida, germicida, fungicida, algicida e algistático, enfim, é indispensável para que a piscina tenha uma água em condições de banho.

NUNCA DEIXE DE LER atentamente o rótulo do cloro e siga à risca as orientações do fabricante em relação a quantidade e modo de aplicação na sua piscina.

O que é alcalinidade?

Podemos definir a Alcalinidade como a capacidade que a piscina tem de neutralizar ácidos, consequentemente manter seu pH estável.

É um parâmetro de capacidade e não de intensidade (como o pH).

Isto explica o porquê de uma piscina ter o pH neutro e ainda assim ter a alcalinidade alta ou baixa.

A alcalinidade é devida principalmente aos carbonatos e bicarbonatos e, secundariamente, aos íons hidróxidos, silicatos, boratos, fosfatos e amônia.

alcalinidade total é a soma da alcalinidade produzida por todos esses íons.

Qual a importância da alcalinidade da piscina?

Por que controlar a alcalinidade da piscina?

Antes de colocar o cloro ou qualquer outro produto químico na piscina, é imprescindível ajustar o pH e a alcalinidade da água.

Apesar de todos os parâmetros influenciarem no equilíbrio químico da água e no conforto dos banhistas, deve-se dar atenção especial à alcalinidade, que quando mantida na faixa considerada ideal, proporciona a estabilidade do pH, dispensando correções frequentes, o que gera economia e maior praticidade.

A alcalinidade é definida como quantidade de substâncias presentes na água capazes de neutralizar ácidos.

A análise da alcalinidade pode ser realizada através de um Kit Teste de Alcalinidade ou com a Fita Teste.

Como ajustar a alcalinidade da piscina?

Você geralmente vai encontrar, assim como no pH, a alcalinidade da piscina desajustada para baixo.

Ou seja: a alcalinidade normalmente tende a descer!

Se isto acontecer, e ela estiver abaixo de 80 ppm utilize o elevador de alcalinidade (por vezes chamado de estabilizador de pH ou pH Estável), que eleva a alcalinidade, estabilizando o pH.

Porém se a alcalinidade estiver alta, ultrapassando 200ppm, aplique redutor de pH e alcalinidade.

O que acontece se a alcalinidade da piscina estiver baixa?

Os principais problemas que podem acontecer caso você deixe a alcalinidade de sua piscina em patamares baixos são:

  • A água tende a ficar turva
  • Água assume facilmente uma tonalidade verde, mesmo estando translúcida
  • Água da piscina fica corrosiva
  • O pH da piscina tende a variar demais, aumentando o número de correções e consequentemente o custo do tratamento
  • O cloro tende a perder o seu efeito algicida devido a fácil alteração do pH.

O que acontece se a alcalinidade da piscina estiver alta?

  • Turbidez da água
  • Água opaca, sem brilho
  • Formação de incrustações nas tubulações da piscina
  • Gasto excessivo com produtos químicos

O que é pH?

sigla pH significa “Potencial Hidrogeniônico“.

Em outras palavras, é o poder de concentração de íons H+ em determinada substância, que no nosso caso será a água da piscina.

Resumindo, é a medição da quantidade de íons de Hidrogênio dispersos na água, o que na verdade, determina se a água está ácida, neutra ou alcalina (básica).

Qual a importância do pH da piscina?

controle do pH da água da piscina, ou sua acidez, é primordial não só para a qualidade da água mas também para a durabilidade da piscina e de seus equipamentos como um todo.

Podemos citar vários motivos para se verificar e corrigir o pH da piscina.

  • Em primeiro lugar, os produtos químicos para tratamento da piscina caso sejam utilizados em uma piscina com água muito ácida, ou seja, pH menor que 7, vão apresentar resultados ineficientes, pois eles são feitos para serem usados em água com pH entre 7.2 e 7.6, ou seja, levemente alcalina.
  • Caso o pH esteja baixo, os banhistas sofrerão com irritações nos olhos, pele e mucosas e as partes metálicas dos equipamentos da piscina serão danificados devido ao processo de corrosão da água.
  • Caso a água esteja muito alcalina (básica), os produtos de desinfecção da água terão sua eficácia diretamente comprometida, a água da piscina se tornará turva facilmente e inicia-se, ao invés de processos de corrosão, processos de formação de calcário nas tubulações e equipamentos.

O pH ideal é 7.2! É um valor próximo ao pH da lágrima de nossos olhos, justamente para não irritar a vista dos banhistas.

Como corrigir o pH da piscina? 

Para medição usa-se estojos de teste que geralmente vêm com uma parte medidora de Cloro disponível e outra parte medidora de “pH“.

Seguindo as instruções do estojo de teste você fará a medição e caso a água esteja ácida você irá adicionar pH+, que normalmente tem como principal ingrediente o “Carbonato de Sódio”, um pó branco que tem como finalidade aumentar o pH da água fornecendo “Íons Carbonato”.

Caso a água esteja alcalina iremos adicionar um “diminuidor de pH” que, na maioria das vezes, tem como ingrediente principal o “Ácido Muriático” que diminui o pH da água fornecendo “Íons H+”.

É interessante manter o pH da água sempre no nível correto para assegurar uma boa durabilidade da piscina como um todo e também a segurança dos banhistas.

MAS ATENÇÃO: SE O PH DE SUA PISCINA ESTÁ VARIANDO DEMAIS, É SINAL DE QUE A ALCALINIDADE ESTÁ DESREGULADA!

piscina post1

O que o cloro faz ?

Certamente o cloro é um dos produtos mais conhecidos quando o assunto é tratamento da água da piscina. É fundamental para garantir os níveis ideais de pH na água, o que propicia um banho seguro e agradável. Mas, como o cloro faz?

O produto é responsável por eliminar bactérias e fungos por meio de uma reação química. Isso evita que microrganismos causem doenças, como micose ou ainda o chamado “pé de atleta”. De maneira geral e resumida, o cloro é utilizado para desinfecção da água.

Apesar de outras substâncias terem ganhado espaço na hora de limpar a água da piscina, como os geradores íons, de ozônio e a radiação ultravioleta, o cloro ainda é o produto mais utilizado.

No entanto, apesar de ser fundamental para garantir a qualidade da água da piscina, o cloro necessita ser aplicado de maneira correta. Isso porque, em caso de excesso, por exemplo, pode causar irritação de pele, dos olhos e da mucosa.

Como aplicar o cloro na piscina?

A aplicação de cloro para o tratamento da água deve ser constante, e a quantidade varia de acordo com o tamanho da piscina. O primeiro passo é fazer a análise semanal da água da piscina, lembrando que:

  • o pH deve estar entre 7.2 e 7.6;
  • a alcalinidade tem que permanecer entre 80 e 120 ppm;
  • e o nível de cloro deve estar entre 1 a 3 ppm.

Cabe destacar que o cloro deve ser aplicado na piscina 3 vezes por semana. Isso serve para que os níveis se mantenham nos padrões adequados e a água esteja própria para o banho.

Porém, é preciso ficar atento à quantidade, que muda entre o cloro granulado e líquido:

  • cloro granulado: 4 gramas para cada 1.000 litros de água;
  • coro líquido: 15ml para cada 1.000 litros de água.

Vale lembrar que as dosagens podem mudar de acordo com a marca. Por isso, antes de aplicá-lo, é fundamental ler o rótulo do produto e ver as orientações do fabricante.

Outro fatos a se considerar são os fatores externos que podem interferir nos indicadores da piscina. O excesso de chuvas e o uso constante da piscina, por exemplo, podem diminuir o nível de cloro. Sendo assim, a quantidade a ser aplicada na manutenção periódica será maior.

E atenção: uma vez realizada a aplicação do cloro, é necessário que o filtro seja ligado por aproximadamente 2 horas,para que o cloro seja espalhado de maneira homogênea pelo tanque da piscina.

Cuidados na hora de aplicar o cloro

É importante destacar que o cloro é um produto forte, que pode causar danos se não forem tomados os devidos cuidados. Primeiramente, o produto deve ser diluído em um balde plástico com água da piscina, para, em seguida, ser vertido no reservatório.

De acordo com empresas especializadas em tratamento de piscinasse jogado diretamente, especialmente em se tratando de cloro granulado, as partículas sólidas podem se depositar no fundo e acabar manchando o revestimento, se a piscina é de fibra ou vinil.